Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Steve Bannon, ex-assessor estratégico do presidente Donald Trump, atacou a Igreja católica por se opor ao fim do Daca

(afp_tickers)

Steve Bannon, ex-assessor estratégico do presidente Donald Trump, atacou a Igreja católica por se opor ao fim do Daca, programa que impede a deportação de imigrantes irregulares que chegaram aos Estados Unidos crianças, afirmando que os clérigos fazem isso por "interesse econômico".

Em trechos de uma entrevista ao programa 60 Minutes da emissora CBS divulgados nesta quinta-feira, Bannon disse que os bispos e cardiais se opõem à revogação do Daca porque "têm interesse econômico na imigração ilegal ilimitada".

"A Igreja católica foi terrível sobre isso", disse Bannon, em alusão ao cancelamento do programa criado por decreto pelo ex-presidente Barack Obama em 2012. Ele formalizava temporariamente imigrantes que chegaram aos Estados Unidos ainda crianças e em situação ilegal, em sua maioria latinos, conhecidos como "Dreamers".

"Como não podem enfrentar os problemas da Igreja, precisam de estrangeiros ilegais, precisam de estrangeiros ilegais para encher as igrejas", afirmou Bannon.

Católico, ele garantiu respeitar "totalmente o papa" Francisco e a hierarquia católica quando se trata de "doutrina", mas disse que o controle da imigração ilegal é um assunto de "soberania nacional" e a Igreja não tem nada a ver com isso.

"Isso absolutamente não é doutrina", enfatizou.

Trump anunciou, nesta terça-feira, a revogação do Daca, dando ao Congresso seis meses para decidir sobre o assunto, que afeta atualmente cerca de 800 mil jovens.

Bannon, que entrou para a campanha de Trump em agosto de 2016, foi retirado de seu cargo de chefe de estratégia da Casa branca há menos de três semanas, em meio às controvérsias provocadas pelas condenações fracas do presidente aos supremacistas brancos.

Desde então, voltou a coordenar o site Breitbart News, plataforma de extrema-direita, e prometeu continuar lutando por Trump, objetivo reiterado à CBS.

A entrevista completa vai ao ar no domingo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP