AFP

(Arquivo) Foto tirada em 15 de janeiro de 2017 mostra o candidato socialista à presidência da França, Benoît Hamon, em Paris

(afp_tickers)

Benoît Hamon, que foi o candidato socialista à presidência da França este ano, anunciou nesta quarta-feira a criação de um movimento "transpartidário" para prosseguir o trabalho "iniciado durante a campanha".

Hamon informou que isto não significa que deixará o Partido Socialista (PS).

"Convidarei os homens e mulheres que pertençam ou não aos partidos políticos. Eu os convidarei a prosseguir este trabalho indispensável para reconstruir a esquerda", declarou Hamon, que ficou em quinto lugar no primeiro turno das eleições presidenciais com apenas 6,4% dos votos.

O movimento se "alimentará do trabalho de intelectuais, da inovação cidadã e democrática que realizamos na campanha presidencial", afirmou à rádio France Inter.

"Hoje, podemos pertencer ao Partido Comunista, aos ecologistas, nos identificarmos com diferentes candidaturas e ter a vontade de trabalhar juntos", disse.

O PS francês, que encerra cinco anos no poder com um balanço de muitas críticas, foi eliminado no primeiro turno das eleições presidenciais pela primeira vez desde 2002.

AFP

 AFP