Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, em La Paz, no dia 28 de março de 2016

(afp_tickers)

Gabriela Zapata,ex-companheira do presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou que processará o governante para negar a ele a paternidade do filho dos dois, segundo declarações divulgadas neste sábado, e afirmou que tramitará um novo teste de DNA.

"Vou pedir também uma medida onde se suspenda a autoridade de paternidade (do presidente), por toda a violência de todo o aparato de governo contra a criança", afirmou Zapata, entrevistada pela emissora privada de TV Red Uno.

Sem detalhar em consistirá sua ação legal, ela disse que apresentará à Justiça "um pedido de negociação de paternidade". "Vou submetê-lo (o menino) ao teste de DNA".

Após o escândalo vir à tona em fevereiro, o presidente reconheceu que em 2007 teve um relacionamento com Zapata e que pouco tempo depois um menino nasceu, vindo a falecer pouco tempo depois.

Também circulou na imprensa boliviana um certificado de nascimento, onde Morales reconhece a criança.

No final do mês passado, Morales se submeteu ao exame de DNA. Zapata, no entanto, se recusou a fazer o mesmo com a criança, alegando que foi negada a presença de peritos imparciais. Ela disse duvidar do trabalho da entidade estatal que realizaria o teste.

AFP