AFP

Um homem abriu fogo nesta quarta-feira em uma escola privada de Riad e matou duas pessoas

(afp_tickers)

Um ex-funcionário demitido de uma escola privada de Riad matou duas pessoas no estabelecimento, anunciou o diretor.

Este tiroteio aconteceu na Kingdom School, que estava fechada em razão das férias no reino.

A polícia procura o suspeito, um indivíduo de origem iraquiana, de acordo com uma fonte da segurança.

O agressor "abriu fogo dentro do escritório de administração. Trata-se de um funcionário que matou dois de seus colegas e feriu um terceiro", afirmou em um comunicado o diretor do estabelecimento, Talal al-Maiman.

Ele foi "demitido da esocla há quatro anos por excesso de raiva e por sua personalidade instável", explicou.

Segundo a fonte da segurança, uma das vítimas é saudita e a outra de origem palestina.

A polícia não considera o caso como um incidente terrorista, e sim como uma questão criminal, afirmou a fonte.

A embaixada americana havia anunciado um pouco antes no Twitter o incidente na Kingdom School de Riad. "O atirador está na escola, que está fechada e na qual não há alunos", escreveu a missão diplomática.

Quase todas as escolas estão fechadas neste momento no país árabe.

A Kingdom School pertence ao grupo Kingdom Holding, do príncipe bilionário Walid Ben Talal, segundo o site da escola.

AFP

 AFP