Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-governador do Estado boliviano de Pando Leopoldo Fernández foi condenado nesta sexta-feira a 15 anos de prisão pelo massacre de 13 indígenas em 2008, quando o país estava sob forte polarização política, informou a Promotoria.

(afp_tickers)

O ex-governador do Estado boliviano de Pando Leopoldo Fernández foi condenado nesta sexta-feira a 15 anos de prisão pelo massacre de 13 indígenas em 2008, quando o país estava sob forte polarização política, informou a Promotoria.

"O Ministério Público provou a autoria de Leopoldo Fernández no caso do 'Massacre de Porvenir' e ele foi sentenciado a 15 anos de prisão pelo homicídio de 13 pessoas", revelou a Promotoria em comunicado enviado à AFP.

Fernández, um influente opositor ao governo Evo Morales, denunciou que seu julgamento teve motivações políticas e disse que apelará ao Supremo Tribunal.

Em setembro de 2008, um grupo de indígenas que apoiava Morales seguiu para Cobija, capital de Pando, em meio a protestos contra o presidente apoiados por Fernández, veterano líder de direita, ex-presidente do Senado e ex-ministro do Interior.

Os indígenas foram reprimidos com violência - segundo a Promotoria - por funcionários de Pando e civis opositores, e o confronto deixou 13 mortos e cerca de 100 feridos.

Na ocasião, cinco das nove regiões da Bolívia foram sacudidas por protestos violentos contra Evo Morales.

Fernández, preso pouco tempo depois do massacre, sempre alegou inocência e afirma ser vítima de um processo político.

AFP