Navigation

Ex-juiz do Supremo investigado por corrupção foge do Peru

O juíz da Suprema Corte do Peru César Hinostroza, em 26 de junho de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. outubro 2018 - 23:30
(AFP)

O juiz César Hinostroza, destituído do Supremo Tribunal do Peru e investigado por suspeita de liderar uma rede de corrupção conhecida como "Os Colarinhos Brancos do Porto", fugiu para a Espanha nesta quarta-feira, informou a imprensa local.

Hinostroza abandonou o país apesar da ordem judicial que o impedia de fazê-lo, emitida em 13 de julho passado, destaca o site do jornal El Comercio, citando fontes do governo.

"Ingressou nesta quarta-feira no território espanhol através do Aeroporto de Madri às 08H43 da noite no horário da Espanha com o passaporte N°117158435", precisou o El Comercio.

A mulher do juiz, Gloria Gutiérrez Chapa, havia viajado para a Espanha no dia 11 de outubro.

Hinostroza foi destituído do Supremo por decisão do Congresso no dia 4 de outubro passado, ficando impedido de exercer cargos públicos por dez anos.

O juiz é uma figura central do escândalo envolvendo a venda de sentenças que explodiu em 8 de julho passado e já provocou a prisão de 12 pessoas.

A Promotoria aponta Hinostroza como o líder dos "Colarinhos Brancos do Porto" de Callao, integrada por outros juízes, empresários e funcionários da Justiça.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.