Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Sede da Odebrecht em São Paulo, em 2 de março de 2017

(afp_tickers)

Dois ex-ministros do ex-presidente panamenho Ricardo Martinelli (2009-2014), detido em Miami, foram presos preventivamente na quarta-feira (6) por suspeita de envolvimento no caso de corrução, envolvendo a construtora Odebrecht.

A Procuradoria especial criada para o caso Odebrecht ordenou, na quarta à noite, as detenções do ex-ministro da Presidência Demetrio Papadimitriu e do ex-ministro de Obras Públicas Jaime Ford, depois de prestar depoimento por mais de 13 horas.

"É uma detenção preventiva, no nosso entender ilegal, e está cheia de elementos violatórios", disse seu advogado, Miguel Batista.

Ford havia sido solto sob fiança de 500.000 dólares em agosto, após passar um mês e meio detido sob acusações de cobrar propinas milionárias na ampliação de uma autoestrada. Este caso específico não tem relação com a Odebrecht.

Agora, uma delação o teria vinculado à cobrança de comissões da Odebrecht.

Já Papadimitriu compareceu, voluntariamente, à Procuradoria.

"Minha mãe foi citada em um dos casos e estou me inteirando para saber do que se trata, já que não quero que prejudique minha mãe, nem qualquer um dos meus familiares", disse Papadimitriu antes de ser detido.

O ex-ministro negou ter relação com o caso Odebrecht.

Ontem, o jornal espanhol "El País" publicou que a empreiteira teria aberto várias contas para os pais de Papadimitriu, nas quais 10 milhões de dólares teriam sido depositados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP