Navigation

Ex-presidente argentina é processada novamente por corrupção

A ex-presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner deixa uma corte federal em Buenos Aires, em 25 de fevereiro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. março 2019 - 21:32
(AFP)

O juiz argentino Claudio Bonadio abriu um novo processo nesta segunda-feira contra a ex-presidente Cristina Kirchner por corrupção, que não será presa preventivamente por ter foro privilegiado como senadora, informaram fontes judiciais.

"A ex-mandatária foi processada nesta segunda-feira devido a supostos superfaturamentos na importação de gás liquefeito", disseram fontes citadas pela imprensa local.

Kirchner governou a Argentina por oito anos, entre 2007 e 2015, e sempre se declarou perseguida política por Bonadio, que a investiga em 10 casos, entre eles o chamado "cadernos da corrupção", que envolve cem ex-autoridades e empresários, entre eles um primo do chefe de Estado, Mauricio Macri.

Kirchner, de 66 anos, se encontra em Cuba onde sua filha, a cineasta Florencia Kirchner, recebe assistência médica por uma condição linfática. Antes de viajar, ela avisou à Justiça, embora não tenha impedimentos para deixar o país.

Cristina Kirchner aparece nas pesquisas como a única opositora que pode enfrentar Macri na tentativa de reeleição em 27 de outubro. Contudo, ela não lançou sua candidatura.

O julgamento contra Kirchner por suposta fraude na obra pública da província de Santa Cruz (Patagônia, sul) começará em 21 de maio.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.