Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner, em Buenos Aires, em 26 de outubro de 2017

(afp_tickers)

A ex-presidente argentina Cristina Kirchner negou nesta quinta-feira (9) as acusações que pesam sobre ela em um caso sobre suposta lavagem de dinheiro envolvendo negócios imobiliários de sua família, em comunicado que se tornou público por meio das redes sociais.

Trata-se do chamado caso Hotesur, nome do empreendimento do segmento hoteleiro que os Kirchner possuem na província patagônica de Santa Cruz, e por meio do qual a justiça suspeita que manobras de lavagem de dinheiro foram feitas, além de pagamentos de subornos.

Kirchner (2007-2015) solicitou à justiça o arquivamento e relembrou que "existem ao menos sete processos judiciais que já analisaram os mesmos atos, os quais descartaram a existência de qualquer indício ilícito".

Para evitar "o show midiático", a ex-presidente e senadora eleita pediu que dessa vez seus simpatizantes não a acompanhassem ou comparecessem aos tribunais, local onde se apresentou uma hora e meia antes da audiência.

A ex-presidente disse em seu Twitter que o ocorrido representa "um novo capítulo da perseguição judicial ordenada pelo presidente Mauricio Macri".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP