Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Peruana manifesta seu apoio a Humala

(afp_tickers)

O ex-presidente peruano Ollanta Humala, que cumpre prisão preventiva acusado de lavagem de dinheiro por receber recursos da Odebrecht para sua campanha eleitoral, acredita em que o recurso apresentado por sua defesa conseguirá revogar a ordem de 18 meses de detenção - informou seu advogado.

"Ele está tranquilo com a expectativa e com a confiança de que a sala de apelações revogue a decisão do juiz sobre sua detenção", disse o advogado Alberto Otárola à imprensa, após visitar seu cliente esta manhã.

A defesa apelará da decisão na próxima semana.

Ministro do governo de Humala (2011-2016), Otárola manifestou que o ex-presidente não pediu qualquer tratamento especial no presídio de Barbadillo, situado na base da Divisão de Operações Especiais (Diroes). Ele está detido desde sexta-feira.

"Não tem acesso a qualquer meio de comunicação. Encontra-se em um espaço adequado às circunstâncias. Me disse que é um lugar similar a um quartel militar, no qual viveu metade de sua vida", relatou o advogado.

Otárola informou que também visitará a ex-primeira-dama Nadine Heredia, detida em um presídio para mulheres do bairro de Chorrillos, em Lima.

O advogado de Nadine, Wilfredo Pedraza, disse à imprensa que apresenta, na próxima terça (18), o recurso de apelação da ordem de 18 meses de prisão preventiva do ex-presidente Ollanta Humala e sua mulher.

AFP