Navigation

Ex-presidente salvadorenho Saca condenado a 10 anos por corrupção

O ex-presidente salvadorenho Elías Antonio Saca (C) conversa com seu advogado antes de ouvir a sentença em um tribunal de El Salvador, em 12 de setembro de 2018. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 12. setembro 2018 - 21:38
(AFP)

Um tribunal de El Salvador condenou nesta quarta-feira o ex-presidente Elías Antonio Saca a dez anos de prisão pelo desvio de 301 milhões de dólares durante sua gestão, de 2004 a 2009.

"O ex-presidente Elías Antonio Saca foi condenado a 10 anos de prisão pelos crimes de peculado e lavagem de dinheiro", informou a Procuradoria Geral da República no Twitter.

A Procuradoria destacou que Saca é o primeiro ex-presidente salvadorenho "condenado por crime de corrupção".

Além da pena de dez anos de prisão, Saca foi condenado a devolver ao Estado 260,7 milhões de dólares.

O tribunal condenou ainda Elmer Charlaix, ex-secretário particular de Saca, a 10 anos de prisão pelos mesmos crimes atribuídos ao ex-presidente.

O secretário de Comunicações Julio Rank e o presidente da empresa estatal de águas César Funes foram condenados a cinco anos de prisão.

Saca, detido há dois anos, foi julgado com seis de seus colaboradores pelo desvio de milhões em dinheiro público.

Em um acordo com a Procuradoria, Saca reconheceu ter cometido os crimes de peculato e lavagem de dinheiro em troca da redução da pena de prisão de 25 para 10 anos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.