Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ingrid discursa no fórum pela reconciliação, em Bogotá

(afp_tickers)

A ex-refém da guerrilha das Farc Ingrid Betancourt voltou à Colômbia para participar, nesta quinta-feira, de um fórum pela reconciliação, no qual suplicou para que o país abrace a possibilidade de paz e promova o perdão, após mais de meio século de conflito armado.

"Faço hoje à Colômbia uma só súplica: que tenha a audácia de confiar em si mesma e abraçar com todas as forças de sua alma o grandioso prospecto da paz", disse Betancourt no fórum "Reconciliação, mais que realismo mágico", por ocasião do qual voltou ao seu país após anos de ausência.

Betancourt lembrou algumas experiências que viveu durante os mais de seis anos em que esteve em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc, comunistas), hoje na reta final de um processo de paz com o governo de Juan Manuel Santos, e pediu que o país abra a porta à reconciliação.

A ex-congressista colombiana, que também tem nacionalidade francesa, foi sequestrada em 2002 quando era candidata presidencial pelo partido verde Oxigênio e libertada em 2008 junto a outros reféns em uma operação militar conhecida como "Operação Jaque", dirigida por Santos, na época ministro da Defesa, que teve uma grande repercussão midiática.

Sobre o processo de paz com as Farc, a ex-refém - que retornou à Colômbia em poucas ocasiões após sua libertação - disse que tanto as ambições de justiça que a sociedade tem quanto as de "segurança jurídica" às quais a guerrilha aspira são compatíveis.

AFP