Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Ampolas de exame de sangue são vistas em Paris, no dia 6 de julho de 2012

(afp_tickers)

Um novo exame que usa sangue e saliva para detectar câncer de cabeça e de pescoço tem se mostrado promissor em um pequeno número de pacientes - informaram nesta quarta-feira os pesquisadores.

Enquanto provavelmente levará anos até que o teste esteja disponível para o público, as descobertas dos pesquisadores da Universidade Johns Hopkins têm aumentado a esperança para um teste de triagem barato, que poderia ser feito por dentistas ou médicos durante visitas regulares.

O câncer de cabeça e pescoço afeta cerca de 50.000 pessoas nos Estados Unidos a cada ano e está em ascensão entre os homens. Os principais fatores de risco são o álcool, tabagismo e papilomavírus humano (HPV), uma infecção comumente transmitida sexualmente que muitas vezes passa despercebida.

"Conseguimos demonstrar que o DNA do tumor no sangue ou saliva pode ser medido com êxito por esses tipos de cânceres", contou o principal autor Nishant Agrawal, professor de otorrinolaringologia e oncologia na Faculdade de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

O estudo envolveu 93 pacientes com câncer que tinham sido diagnosticados anteriormente.

Em pacientes portadores de cânceres originados por HPV, os cientistas recolheram amostras de sangue e saliva de DNA relacionado à promoção de câncer.

Naqueles com câncer não ligados ao HPV, os médicos buscaram mutações em um punhado de genes relacionados ao câncer.

Os pesquisadores descobriram o DNA do tumor na saliva de 71 dos 93 pacientes (76 por cento) e no sangue de 41 dos 47 (87 por cento).

Cerca de metade dos pacientes concederam tanto saliva quanto amostras de sangue aos cientistas, e os testes combinados encontraram DNA do tumor em 45 dessas 47 pessoas (96 por cento).

"A combinação de exames de sangue e de saliva pode oferecer a melhor chance de encontrar o câncer", disse Agrawal.

Mais testes sobre um maior número de pacientes ainda são necessários antes que o teste possa procurar a aprovação do mercado.

Uma forma beta do teste pode custar milhares de dólares, mas com o tempo poderia ser oferecido por 50 dólares em ambiente de escritório ou de cuidados primários de um dentista, disseram os pesquisadores.

"Nosso objetivo final é desenvolver melhores testes de triagem para encontrar cânceres de cabeça e pescoço entre a população em geral e melhorar a forma de como monitorar pacientes com câncer de recorrência de sua doença", afirmou o co-autor Bert Vogelstein, professor de oncologia na Johns Hopkins Kimmel Cancer Center.

A pesquisa foi publicada em 24 de junho na revista Science Translational Medicine.

AFP