Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O preço médio ficou em 27,6 dólares a caixa, uma leve queda de 0,6% ante 2016, "principalmente pelo baixo desempenho durante abril (26,8 dólares) e maio (26,9)"

(afp_tickers)

As exportações de vinho chileno registraram lucro de 868,6 milhões de dólares entre janeiro e julho de 2017, 3,9% mais que no mesmo período de 2016, com China e Brasil como os maiores compradores, segundo a Wines Of Chile, grêmio dos vinicultores do país.

O volume de vendas ao exterior alcançou 31,5 milhões de caixas no período, 4,5% a mais que no mesmo semestre do ano passado, indicou o comunicado divulgado pela Wines Of Chile nesta quarta-feira.

O preço médio ficou em 27,6 dólares a caixa, uma leve queda de 0,6% ante 2016, "principalmente pelo baixo desempenho durante abril (26,8 dólares) e maio (26,9)", completou a nota.

Apenas no mês de julho, as exportações de vinhos chilenos alcançaram os 152,9 milhões de dólares, 6,6% a mais que no mesmo mês do ano anterior, enquanto foram vendidas 5,3 milhões de caixas, 4,6% a mais, a 28,7 dólares.

Durante os primeiros sete meses, os maiores compradores de vinho chileno foram a China, com alta de 29,6% no valor e de 22,4% no volume de caixas, e o Brasil, com 24,2% a mais no valor e 21,8% a mais no volume.

Para o segundo semestre, "serão realizadas atividades de promoção e imagem em mercados focais, o que esperamos que reflita um maior dinamismo no período", indicou a Wines Of Chile.

O Chile é o quarto maior exportador mundial de vinhos, com 52 milhões de caixas vendidas ao ano.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP