AFP

A companhia aérea americana United Airlines era alvo de fortes críticas nesta segunda-feira (10), após um passageiro ser retirado à força de um avião por overbooking na véspera

(afp_tickers)

A companhia aérea americana United Airlines era alvo de fortes críticas nesta segunda-feira (10), após um passageiro ser retirado à força de um avião por overbooking na véspera.

Vários vídeos nas redes sociais gravados por passageiros chocados revelam quando três policiais agarram um homem em um assento e o arrastam pelo chão do corredor do avião para retirá-lo do aparelho.

Após horas de polêmica, o diretor da United Airlines, Oscar Muñoz, declarou que se trata de "um fato que comoveu a todos aqui na United".

"Lamentamos ter colocado esses clientes" em outros voos, assinala um comunicado publicado no "site" da companhia aérea.

"Estamos tentando contactar esse passageiro para conversar diretamente e resolver este problema", completou.

Segundo a imprensa americana, as autoridades de transportes de Chicago, às quais os policiais que executaram a ação estão subordinados, suspenderam um agente envolvido na remoção do homem.

A companhia explicou que pediu que voluntários cedessem seus assentos no voo da noite de domingo, entre Chicago e Louisville, devido a excesso de passageiros ("overbooking"). Como ninguém se apresentou, escolheu um passageiro à revelia.

As companhias aéreas americanas estão autorizadas a retirar passageiros diante de "overbooking", mas em troca de uma indenização, caso não haja "voluntários" suficientes, recordou o Departamento de Transportes.

AFP

 AFP