Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A chanceler alemã, Angela Merkel

(afp_tickers)

Vários dirigentes da extrema direita alemã anunciaram nesta terça-feira que irão se afastar do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) por causa de sua evolução para o extremismo nas eleições.

O líder da AfD no estado regional de Renânia do Norte-Westfália (oeste), o mais povoado do país, Marcus Pretzell, informou que está deixando o partido e justificou sua decisão em uma entrevista ao Die Welt "por sua avaliação não muito otimista sobre a evolução da AfD".

Pretzell segue os passos de sua esposa, Frauke Petry, até agora uma das dirigentes do partido anti-imigração que causou surpresa e preocupou por seu avanço nas legislativas de domingo.

Petry não deseja fazer parte da bancada da AfD na Bundestag porque denuncia a radicalização do partido.

Petry e outros dirigentes da AfD do Parlamento regional da Saxônia (leste) também renunciaram a suas funções, em uma região na qual o partido obteve 27% dos votos, superando os conservadores da chanceler Angela Merkel.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP