Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O réu Wolfgang Plan no banco do tribunal de Nuremberg, Alemanha

(afp_tickers)

Um alemão acusado de pertencer aos "Cidadãos do Reich" ("Reichsbürger"), um movimento extremista que não reconhece a República da Alemanha, foi condenado nesta segunda-feira à prisão perpétua por ter matado um policial em 2016.

O tribunal de Nuremberg-Fürth condenou Wolfgang Plan, de 50 anos, por assassinato, tentativa de assassinato e ferimentos corporais graves.

Durante uma operação policial em 19 de outubro de 2016, ele matou em sua residência de Georgensgmünd um agente de 32 anos e feriu outros dois.

As forças de segurança apreenderam 30 armas na casa de Plan.

O réu, que atirou 11 vezes contra os agentes, afirmou que não sabia que as pessoas em sua casa eram policiais e que pensou em uma tentativa de assalto.

Os "Cidadãos do Reich", movimento heterogêneo que inclui neonazistas, nostálgicos do Kaiser, conspiradores e pessoas com crenças esotéricas, preocupam as autoridades da Alemanha por seu crescimento e sua predisposição para a violência.

O serviço de inteligência alemão calcula que 15.000 pessoas integram o movimento, incluindo 900 extremistas de direita.

Durante o julgamento, Plan só falou sobre ele em terceira pessoa. Durante a leitura do veredicto permaneceu impassível, depois de entrar na sala de audiência com um sorriso.

A Promotoria solicitara a prisão perpétua pela gravidade do crime. O réu foi acusado de atirar com "a intenção de provocar o máximo de ferimentos letais".

O advogado de Plan repetiu que o cliente não sabia que eram policiais e que acreditava em um ataque contra sua residência.

A defensa alegou que Plan foi surpreendido pela chegada das forças de segurança. Um dos policiais não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.

Wolfgang Plan, fã de caça e que já foi o diretor de uma escola de artes marciais, se descreve como um cidadão do "governo de Wolfgang", um pseudo Estado que criou ao traçar linhas amarelas ao redor de sua propriedade em Georgensgmünd, informou a agência DPA.

Plan se negava a pagar impostos e havia devolvido os documentos de identidade.

Outro julgamento contra um "Reichsbürger", acusado de atirar contra policiais, acontece atualmente na Alemanha.

Adrian Ursache, ex-Mister Germany, de 42 anos, é julgado em Halle por "tentativa de assassinato" de policiais. Em agosto de 2016 ele atirou contra as forças de segurança que tentavam entregar a notificação de expulsão de sua residência. Ele atingiu um dos agentes na garganta.

Ursache atrapalhou o desenvolvimento das audiências e foi expulso no tribunal na semana passada. O julgamento continuará sem a sua presença.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP