Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Todos esses cogumelos foram fossilizados em âmbar

(afp_tickers)

Um grupo de cientistas encontrou um fóssil de um cogumelo de 115 milhões de anos, muito mais antigo que o exemplar com mais anos encontrado até agora e que existiu na era dos dinossauros.

O fungo, de apenas cinco centímetros de comprimento e idêntico aos seus descendentes contemporâneos, foi descoberto no Brasil, que naquele momento fazia parte do supercontinente Gondwana.

Esta enorme massa continental posteriormente se fragmentou para formar a América do Sul, a África, a Antártica, a Índia e a Austrália.

Uma observação com um microscópio eletrônico revelou que o espécime tinha brânquias sob sua tampa, assim como esporos, que ajudam a identificar espécies de fungos, disse Sam Heads, paleontólogo da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign e coautor do estudo, publicado na edição de 7 de junho da revista científica PLOS One.

Os pesquisadores classificaram este fungo na ordem Agaricales e o batizaram de "Gondwanagaricites magnificus".

Depois de cair em um rio possivelmente durante uma inundação, o fungo foi arrastado para uma lagoa, onde ficou enterrado sob sedimentos e fossilizado.

Segundo Heads, a água dessa lagoa devia ser salgada e conter pouco oxigênio, impedindo toda forma de vida no seu fundo.

"Este fóssil é bastante surpreendente porque os cogumelos são efêmeros", aponta o pesquisador. "Assim que eles emergem do solo, crescem e geralmente desaparecem dentro de poucos dias".

Por outro lado, suas estruturas são frágeis e se degradam rapidamente, de modo que as possibilidades de fossilização são extremamente baixas, explica.

Anteriormente foram descobertos filamentos fúngicos fossilizados de milhões de anos, mas só dez cogumelos inteiros haviam sido encontrados, o mais antigo deles de 99 milhões de anos.

Todos esses cogumelos foram fossilizados em âmbar.

Os fungos evoluíram antes das plantas terrestres e são responsáveis pela sua transição a partir de um ambiente aquático, disseram os cientistas.

Quando os "Gondwanagaricites magnificus" estavam crescendo, as primeiras plantas com flores estavam aparecendo, passando por uma grande evolução, disse Heads.

"Havia dinossauros pisoteando nestes lugares e pterossauros voando pelo céu, ou seja, muita fauna diferente", acrescentou.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP