Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Estragos em uma rua da cidade de Concon

(afp_tickers)

O Facebook ativou uma ferramenta de geolocalização no Chile para que os usuários informem sua situação após o terremoto de 8,3 graus que atingiu o país na noite desta quarta-feira e deixou oito mortos e um desaparecido.

A ferramenta, chamada "Safety check" (Comprovação do estado de segurança, https://www.facebook.com/about/safetycheck/), permite que os que se encontram na zona do incidente informem sobre seu estado e fiquem cientes da situação de seus amigos.

"Conecte-se com seus amigos e entes queridos durante uma catástrofe", indica o aplicativo, que permite três opções ao usuário: "consultar as notificações (se estiver perto de uma catástrofe, te perguntaremos se está bem), confirmar que está bem (se está bem, toque ou clique o botão 'Estou bem'), ou comprovar como estão os demais (te avisaremos quando seus amigos confirmarem que estão bem)".

O "Safety Check" foi criado em outubro de 2014 e foi utilizado com êxito após o terremoto do Nepal em abril.

"A ferramenta é ativada quando ocorre um desastre natural. Se estiver na zona afetada, receberá uma notificação do Facebook na qual te perguntaremos se você está bem", explica a rede social.

"Para determinar onde está, nos basearemos na cidade associada ao seu perfil, em sua última localização (...) e na cidade a partir da qual você se conecta à internet. Se nos equivocarmos, pode indicar que não está na zona afetada", indica.

A rede social começou a desenvolver este aplicativo após o terremoto e o tsunami do Japão em 2011. "Durante uma crise, comprovamos que as pessoas utilizam tecnologia e as redes sociais para permanecer em contato com seus entes queridos", escreveu o Facebook em seu site.

AFP