Navigation

Facebook bloqueia campanha de manipulação com contas falsas na Europa

Facebook controlou nova campanha de manipulação no Reino Unido e na Romênia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. março 2019 - 20:36
(AFP)

O Facebook informou nesta quinta-feira (7) ter fechado dezenas de contas falsas no Reino Unido e na Romênia que publicavam comentários de ódio político, um método comum de manipular a opinião pública nas redes sociais.

A empresa eliminou 137 contas no Facebook e no Instagram do Reino Unido de "ativistas de direita e antidireita", que costumavam mudar seus nomes e "operam contas falsas para se engajar em discurso de ódio e disseminar comentários divisórios em ambos os lados do debate político" no país, disse o Facebook em um texto postado em seu blog.

"Estamos removendo essas páginas e contas com base em seu comportamento, não no conteúdo que publicaram", disse o chefe de segurança cibernética do Facebook, Nathaniel Gleicher.

"Em cada um desses casos, as pessoas por trás dessa atividade se coordenavam entre si e usavam contas falsas para dar uma imagem falsa de si mesmas e essa era a base de nossa ação", informou.

Esta é a última ação do Facebook para bloquear as atividades de manipulação pelo mundo. Antes, a rede social havia se concentrado em contas na Rússia e no Irã.

Gleicher relatou que a origem da ação foi uma investigação interna com a colaboração da polícia britânica e que o Facebook compartilhou suas descobertas com as autoridades.

Em uma operação separada na Romênia, o Facebook fechou 31 contas que publicaram notícias locais e questões políticas, incluindo "notícias do partido com assinaturas fictícias em apoio ao Partido Social-Democrata (PSD)".

A ação foi revelada um dia depois de o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, afirmar que a rede social está pronta para se tornar uma plataforma "focada na privacidade" e na confidencialidade.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.