Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Um usuário acessa o WhastApp, em Nova York, no dia 20 de fevereiro de 2014

(afp_tickers)

O WhatsApp corrigiu recentemente uma falha que deixou 200 milhões de usuários vulneráveis a fraudes eletrônicas - foi o que informou nesta quarta-feira uma empresa de segurança digital norte-americana.

O aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp, que faz parte do gigante das redes sociais Facebook, conta com mais de 900 milhões de usuários, dos quais 200 milhões usam o serviço através do navegador do computador - versão atingida pelos hackers.

A falha na versão web tornou possível que os hackers ocultassem um código malicioso em aparentemente inocentes "vCards", que contêm a informação de contato.

Abrir os cartões contaminados permite que o vírus infecte os computadores, o que habilita potencialmente os piratas informáticos a fazer o controle da informação, segundo a empresa de segurança digital Check Point.

Os hackers só precisam de um smartphone como tela e que a pessoa abra o mencionado "vCard".

A empresa Check Point disse que alertou o WhatsApp no mês passado sobre esta vulnerabilidade e que uma atualização do aplicativo já está disponível.

AFP