Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pertences de passageiros se espalham no local da queda do avião da Malaysia Airlines

(afp_tickers)

Uma família australiana foi atingida pelas duas tragédias que envolveram a Malaysia Airlines este ano, dando adeus a dois de seus membros na queda do MH17, quatro meses depois de se despedir de um casal no desaparecimento do voo MH370.

Maree e Albert Rizk, que retornavam a Melbourne depois de passar um mês de férias na Europa, morreram na quinta-feira na queda do MH17 no leste da Ucrânia, informou a imprensa australiana.

O pai de Maree é casado com a integrante de uma família de Queensland que deu adeus ao casal Rodney e Mary Burrows na tragédia do MH370, que desapareceu quando viajava de Kuala Lumpur a Pequim no dia 8 de março, informou o irmão de Rodney, Greg Burrows, à AFP.

Burrows disse não querer fazer uma declaração em nome da família Rizk, mas afirmou: "Não temos ressentimentos em relação à Malaysia Airlines".

"Ninguém poderia prever este (acidente) e nada está provado sobre o primeiro", disse, acrescentando que "ainda estamos esperando por respostas em relação ao primeiro acidente".

O voo MH17 da companhia aérea malaia transportava 298 pessoas, incluindo 28 australianos, quando caiu na quinta-feira no leste da Ucrânia, uma área controlada por rebeldes separatistas pró-russos.

Segundo autoridades americanas, a aeronave aparentemente foi derrubada por um míssil terra-ar.

Rodney e Mary Burrows voltavam de férias com amigos quando embarcaram no MH370 em março.

"Eles eram ótimas pessoas e nós os amávamos intensamente. Esperamos que tenha sido rápido para eles", declarou um vizinho, que não quis se identificar, na época do acidente.

Até o momento não há sinais do MH370. As autoridades acreditam que o avião caiu no Oceano Índico.

AFP