AFP

(Arquivo) Avião na Letônia em 13 de junho de 2016

(afp_tickers)

Um casal da Califórnia denunciou nesta quinta-feira ter sido expulso de um voo da Delta nos Estados Unidos por se negar a ceder o assento de seu filho pequeno, em um novo incidente envolvendo companhias aéreas americanas.

O fato ocorreu na semana passada com a família Schear, de Huntington Beach, que viajava do Havaí para Los Angeles.

Em um vídeo postado no Youtube, é possível escutar um funcionário da Delta pedindo que o casal retire o filho de dois anos do assento.

O pai, Brian Schear, se nega a retirar a criança porque havia pago pelo lugar, mas ainda assim é expulso do avião com a mulher e os dois filhos.

"Isto é um crime federal, você e sua mulher serão presos e as crianças irão para um orfanato", diz o funcionário da Delta quando Schear se nega a deixar o avião.

O fato, amplamente compartilhado nas redes sociais, é mais um incidente envolvendo empresas aéreas americanas e o mau tratamento aos passageiros.

Em um comunicado, a Delta informou que está analisando o incidente com a família Schear "para entender melhor o que ocorreu e apresentar uma solução".

Brian Schear revelou que após ser expulso do avião, a família teve dificuldades para encontrar um hotel e decidiu pagar 2 mil dólares para pegar o voo seguinte, da United.

O casal destacou que a criança ocupava um assento comprado para seu irmão de 18 anos, que havia regressado para casa mais cedo, em outro voo.

AFP

 AFP