AFP

O príncipe William, em Londres no dia 5 de abril de 2017

(afp_tickers)

O príncipe William, da Inglaterra, sua mulher Kate, e seu irmão Harry conversaram nesta quarta-feira (5) com sobreviventes do atentado de 22 de março em Londres e familiares das quatro pessoas falecidas, durante uma cerimônia religiosa na Abadia de Westminster.

William, segundo na linha de sucessão ao trono britânico, depositou uma coroa de flores em memória às vítimas diante da abadia.

Durante a missa, leu a parábola do bom samaritano da Bíblia para homenagear as três vítimas: Leslie Rhodes, um aposentado de 75 anos, Aysha Frade, uma funcionária administrativa de uma escola de 44 anos, e Kurt Cochran, turista americano de 54 anos.

No dia 22 de março, no início da tarde, Khalid Masood, britânico de 52 anos convertido ao islamismo, investiu com seu automóvel contra dezenas de pessoas na ponte de Westminster, para depois matar a facadas um policial posicionado em frente ao Parlamento inglês.

Melissa Cochran, mulher de Kurt Cochran, assistiu à cerimônia na cadeira de rodas, depois de ter fraturado várias costelas e uma perna.

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, e a ministra de Interiores, Amber Rudd, também leram palavras em homenagem durante a cerimônia que contou com a presença de 1.800 pessoas, entre elas testemunhas do ataque, feridos e socorristas, assim como os presidentes da câmara alta e baixa do Parlamento.

Após a cerimônia, os membros da família real reuniram-se em particular com os sobreviventes do ataque e familiares dos falecidos.

AFP

 AFP