Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O líder das Farc, Rodrigo Londoño, conhecido como Timochenko, em Havana, em 2 de outubro de 2016

(afp_tickers)

Os líderes das FARC e do ELN mantém nesta terça-feira em Havana um "diálogo aberto" em busca de uma "paz completa" para a Colômbia, depois de meio século de luta envolvendo ambas as guerrilhas em processo de desarmamento e negociação, respectivamente.

Os comandantes das FARC Rodrigo Londoño (conhecido como Timoshenko) e do ELN Nicolás Rodrigo (Gabino) lideram o encontro autorizado pelo governo colombiano e que acontece com a ajuda dos países padrinhos, como Cuba e Noruega, de acordo com imagens e mensagens postadas nas contas dos rebeldes no Twitter.

"Em um diálogo aberto com os camaradas do ELN. Sonhando com a paz completa na Colômbia", escreveu Pastor Alape, membro da liderança das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

É a primeira vez que os líderes das duas organizações de esquerda se encontram publicamente desde que as FARC assinaram um acordo de paz com o presidente Juan Manuel Santos, em novembro passado, e que o Exército de Libertação Nacional (ELN) iniciou negociações em fevereiro, em Quito.

Sob supervisão da ONU, os cerca de 7.000 combatentes do grupo marxista estão concentrados em 26 pontos na Colômbia para o seu desarmamento, enquanto o ELN, com 1.500 homens e mulheres, negocia um cessar-fogo.

O governo colombiano anunciou nesta terça-feira a libertação de oito pessoas que, segundo as autoridades, foram sequestradas no domingo por rebeldes do ELN em uma área remota do departamento de Chocó.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP