Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O negociador das Farc Pablo Catatumbo, em Havana, no dia 6 de abril de 2016

(afp_tickers)

A guerrilha das Farc pediu nesta quarta-feira uma ação contundente contra os grupos paramilitares na Colômbia e advertiu que, sem isso, não será possível materializar o acordo de paz que está prestes a ser concluído com o governo de Bogotá.

"Com grupos paramilitares, com crimes e atentados, com ameaças e terror, não se pode materializar a paz", afirmou o grupo em um comunicado lido em Havana, na retomada dos diálogos de paz após uma pausa de duas semanas.

A organização pediu ao governo de Juan Manuel Santos a que termine com os grupos ilegais que no passado combateram os rebeldes e cometeram violações dos direitos humanos.

Santos assegura que os grupos aos quais a guerrilha se refere são, na realidade, bandos criminosos dedicados ao narcotráfico e que surgiram da grande desmobilização dos paramilitares da ultra direita durante o mandato de Álvaro Uribe (2002-2010).

AFP