Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O dissidente cubano Guillermo Fariñas no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no dia 3 de julho de 2013

(afp_tickers)

O dissidente Guillermo Fariñas suspendeu, nesta segunda-feira, a greve de fome e sede que mantinha há 54 dias, alegando que o Parlamento Europeu considerará uma emenda sobre repressão contra a dissidência no acordo da União Europeia (UE) e Cuba.

"Conseguiu que o Parlamento Europeu considere a introdução de uma emenda ao acordo com o Governo cubano relacionada ao fim da repressão do governo contra a oposição na ilha", disse à AFP Jorge Luis Artiles, porta-voz de Fariñas.

Cuba e UE alcançaram um acordo de diálogo político e cooperação em 11 de março deste ano.

Fariñas, um psicólogo de 54 anos começou no último 20 de julho uma greve de fome e sede em Santa Clara, sua cidade natal e de residência, 280 km a oeste de Havana, para exigir ao governo de Raúl Castro o fim da repressão contra a oposição.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP