Navigation

Fed se une a bancos centrais na luta contra as mudanças climáticas

O Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos alertou recentemente para riscos das mudanças climáticas sobre a estabilidade econômica afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. dezembro 2020 - 19:13
(AFP)

O Federal Reserve (Fed, banco central americano) se uniu a outros bancos centrais em um grupo global com o objetivo de combater as mudanças climáticas e responder ao risco que a crise ambiental representa para o sistema financeiro.

O Fed trabalha há um ano com a Rede de Bancos Centrais e Supervisores para o Esverdeamento do Sistema Financeiro (NGFS), mas agora se uniu ao Banco da Inglaterra, ao Banco Central Europeu, ao Banco do México, além de outros, como membro formal.

A rede foi criada como parte do Acordo Climático de Paris "para melhorar a participação do sistema financeiro para gerir os riscos e mobilizar capital para investimentos verdes e de baixo carbono", segundo seu site na internet.

Junto com o Fed e outros sete novos membros, o NGFS cresceu de oito membros fundadores, três anos atrás, para 83 membros e 13 observadores atualmente.

"À medida que desenvolvemos nosso entendimento de como avaliar o impacto das mudanças climáticas no sistema financeiro, esperamos continuar e aprofundar nossas discussões com nossos colegas da NGFS ao redor do mundo", disse o presidente do Fed, Jerome Powell, em um comunicado.

O presidente da NGFS, Frank Elderson, disse que embora o grupo tenha feito avanços nos últimos três anos, "nosso trabalho está longe do fim".

"Nós ainda precisamos pressionar com nossos esforços coletivos para garantir zero emissões líquidas e responder aos riscos que a crise climática representa para o sistema financeiro", disse Elderson em um comunicado.

Partilhar este artigo