Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Feira Internacional de Damasco voltará a ser organizada após cinco anos

(afp_tickers)

A Feira Internacional de Damasco, um importante evento do calendário econômico da Síria antes da guerra, acontecerá novamente esta semana, pela primeira vez em cinco anos, com participantes de 23 países.

Os organizadores informaram que empresas do Reino Unido, França e Alemanha participarão a título individual, depois que seus países romperam laços com o governo do presidente sírio Bashar al-Assad.

"Os países com uma atitude hostil a respeito da Síria não foram convidados", afirmou à AFP o diretor da feira, Fares Al Kartally.

"Mas, ao mesmo tempo, não manifestamos oposição à participação de nenhum país que tenha demonstrado interesse em participar na feira, diretamente ou com mediadores sírios", completou, sem entrar em detalhes.

A Feira de Damasco, que teve sua primeira edição em 1954, é a mais antiga do tipo no mundo árabe. Será inaugurada na quinta-feira e terá duração de 10 dias.

O retorno foi possível graças à "volta da calma e da estabilidade na maioria das regiões" da Síria, afirmou Kartally.

"Queremos que esta feira marque o início da reconstrução do país", completou.

A edição anterior aconteceu em 2011, poucos meses depois da explosão de um conflito que, segundo o Banco Mundial, teria custado à Síria perdas de 226 bilhões de dólares, ou seja, quatro vezes o PIB anual antes da guerra.

A feira terá a participação de 1.500 delegados de vários setores, da indústria têxtil - que já foi o pilar da economia síria - à agricultura, segundo os organizadores.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP