Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem da TV do líder cubano Fidel Castro durante encontro com estudantes em Havana no dia 7 de abril de abril de 2016

(afp_tickers)

Perto de completar 90 anos, Fidel Castro, o líder da Revolução Cubana, reapareceu, em seu primeiro ato público em nove meses, no qual falou dos benefícios da escola pública na Ilha comunista.

Em artigo divulgado hoje, Fidel também criticou a visita do presidente Barack Obama a Havana.

Sempre sentado, Fidel conversou com alunos do Ensino Fundamental, por ocasião do 86º aniversário do nascimento de Vilma Espín, sua ex-cunhada e importante personalidade revolucionária, falecida em 2007, segundo imagens da televisão pública cubana.

"Estou certo de que, em um dia como hoje, Vilma estaria muito feliz, porque estaria vendo: sacrificou sua vida. Todo aquele que morre lutando pela Revolução vai deixando energia", declarou Fidel.

Hoje, o eterno comandante falou da escola cubana, que é gratuita e atende a 100% da população. Também nesta quinta foi publicado um artigo de Fidel, criticando a visita de Obama, entre 20 e 23 de março à Ilha.

"Não precisamos de que o império nos dê nada de presente", declarou Fidel Castro, no artigo publicado no jornal oficial Granma intitulado "O irmão Obama".

O líder da Revolução Cubana ressurgiu em um ato público antes da realização do VII Congresso do Partido Comunista, em 16 de abril próximo. Nesse evento, o mais importante em um governo que segue o modelo de partido único, como acontece em Cuba, deve-se definir os rumos econômico e político da Ilha para os próximos cinco anos.

AFP