Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Grupo de eleitores vota em colégio eleitoral em Miami, em 6 de novembro de 2018, nas eleições de meio mandato

(afp_tickers)

A Flórida ordenou neste sábado uma recontagem de votos nas eleições de governador e senador por esse estado dos Estados Unidos, pois a diferença entre os principais candidatos para ambos os cargos são de apenas poucos milhares de votos.

Os resultados da nova contagem, ordenada pelo secretário de Estado da Florida, Ken Detzner, em aplicação às disposições vigentes, deverão ser comunicados às autoridades da Flórida até as 15H00 do horário local de quinta-feira.

Na eleição do governador, resultados não oficiais publicados no sábado colocam o candidato republicano, Ron DeSantis, apoiado por Donald Trump, à frente do candidato democrata, Andrew Gillum, um dos novos rostos mais midiáticos do partido, com apenas 33.684 votos, 0,41% dos mais de 8,2 milhões de votos.

A disputa entre o senador democrata da Flórida, Bill Nelson, e o rival republicano Rick Scott, atual governador do estado, foi ainda mais acirrada. A vantagem de Scott foi de apenas 12.562 votos, cerca de 0,15% de diferença entre os dois (50,07% contra 49,92% dos votos).

O clima na Flórida tem sido tenso desde a noite de terça-feira, em um estado acostumado a longas contagens e controvérsias. Para vários especialistas, o grande número de votos por correspondência teria contribuído para bloquear a máquina eleitoral durante a eleição.

O episódio mais memorável de todos, no entanto, continuará sendo a bagunça histórica da eleição presidencial dos EUA no ano 2000. Na época a Flórida ocupou manchetes da mídia do mundo todo, quando apenas alguns votos separaram o republicano George W. Bush do democrata Al Gore.

As impressionantes imagens dos oficiais contando os votos um por um, até às vezes com uma lupa, foram ficaram na memória. O processo foi decidido pelo Supremo Tribunal dos Estados Unidos. O republicano derrotou o democrata na Flórida por 537 votos e venceu a eleição presidencial.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP