Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Logo do grupo francês Fnac Darty, em Paris, em 1º de março de 2017

(afp_tickers)

A empresa francesa Fnac Darty anunciou nesta quarta-feira (19) num comunicado um acordo com o grupo Livraria Cultura para ceder sua filial brasileira, da qual desejava se desvincular há meses.

O montante da transação, cuja "conclusão está prevista para as próximas semanas", não foi comunicado.

A Fnac Darty anunciou em fevereiro passado seu desejo de deixar os negócios do Brasil, indicando que buscava um sócio para permitir que a filial ganhasse dimensão para se desenvolver. A operação permitirá que o grupo se concentre novamente em suas atividades na França e na Europa.

"A Livraria Cultura tem um projeto industrial ambicioso para a Fnac Brasil e vai se apoiar na forte notoriedade da rede Fnac e na expertise das equipes para dar sequência à sua estratégia de desenvolvimento", indica o comunicado.

"Essa aproximação entre dois grupos de cultura similares e engajados na promoção cultural no Brasil vai criar valor e sinergia", garantiu a Fnac Darty.

A Livraria Cultura poderá "diversificar suas atividades com a entrada dos produtos técnicos da Fnac", completou.

"Para dar ao novo conjunto todos os meios de se posicionar entre os líderes do mercado, a Fnac Darty vai autorizar a utilização da marca Fnac e vai proceder uma recapitalização", explica a nota.

A Livraria Cultura, importante membro do mercado de distribuição cultural nacional, atua em 18 lojas físicas e pela internet.

A Fnac chegou ao Brasil em 1999, com 12 lojas e 550 funcionários. Em 2015, as atividades do grupo no país registraram receita de 137 milhões de euros.

A filial brasileira continuava estruturalmente deficitária dentro de um mercado instável e competitivo. As dificuldades do grupo se agravaram desde que o Brasil entrou em recessão, o que afetou especialmente a aquisição de bens de consumo não alimentares pela população.

AFP