Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Um foguete Soyuz MS-04 é transportado no Cazaquistão, no dia 17 de abril de 2017

(afp_tickers)

Um foguete russo Soyuz decolou nesta quinta-feira do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, transportando um satélite geoestacionário totalmente elétrico operado pelo europeu SES.

Este é o quinto lançamento do ano organizado pela Arianespace. Inicialmente estava previsto para o início de abril, mas o envio deste Soyuz - o segundo projetado a partir de Kourou em 2017 - foi paralisado pelo conflito social na Guiana Francesa há mais de um mês.

O foguete russo decolou, conforme o previsto, às 8H54 (local e de Brasília), carregando o SES-15, primeiro satélite geoestacionário elétrico do operador europeu SES, com sede em Luxemburgo.

Construído pela Boeing na Califórnia, o satélite SES-15 é alimentado por eletricidade, o que dispensa o embarque de combustível. Esta vantagem de massa permite incluir equipamentos de telecomunicações.

O satélite de telecomunicações SES-15 cobrirá a América do Norte, América Central e o Caribe, bem como a zona entre o Alasca e as ilhas havaianas.

Também dará a possibilidade ao SES de fornecer uma ampla gama de serviços de telecomunicações, principalmente de comunicações para a aeronáutica, marítimos, dos sistemas VSAT e governos.

Estima-se que terá uma vida útil de mais de 15 anos.

A duração da missão, da decolagem à separação do satélite, é de cerca de 5 horas e 18 minutos.

"SES-15 é o satélite número 40 a ser colocado em órbita pela Arianespace pelo operador SES", indicou Arianespace em um comunicado.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP