AFP

As forças paquistanesas dizem que mataram mais de dez combatentes do Estado Islâmico depois que dois cidadãos chineses foram sequestrados na cidade de Quetta, retratada na foto após o sequestro

(afp_tickers)

As forças paquistanesas anunciaram neste domingo que mataram mais de 10 combatentes do grupo extremista Estado Islâmico (EI), suspeitos de sequestrar cidadãos chineses recentemente, durante uma operação de três dias.

A operação aconteceu no distrito de Mastung, na província de Baluchistão, sudoeste do Paquistão, onde integrantes do EI usavam uma caverna como esconderijo, afirmou uma fonte das forças de segurança.

"Doze ou 13 comandantes foram mortos após intensas trocas de tiros e a segurança foi restabelecida no sábado à noite", afirmou.

Os dois cidadãos chineses não foram encontrados, apesar do veículo utilizado no sequestro, mês passado em Quetta, capital da província, ter sido encontrado perto do local.

Os militares apreenderam seis cinturões de explosivos, munições, bombas, detonadores, placas solares e alimentos, declarou à AFP uma fonte paquistanesa.

O grupo EI estendeu sua influência no Paquistão por meio de alianças com grupos como Lashkar e Jhangvi e Jamaat ul Ahrar.

AFP

 AFP