Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os chefes de Estado e de governo da União Europeia são vistos em 16 de julho de 2014, em Bruxelas

(afp_tickers)

Os líderes europeus não conseguiram chegar a um acordo na noite de quarta para quinta-feira sobre as nomeações para os principais postos da UE, e vão tentar um entendimento até o fim de agosto.

Os chefes de Estado e de governo dos 28 países anunciaram uma cúpula extraordinária para 30 de agosto para encontrar um compromisso sobre os nomes do presidente do Conselho Europeu e do chefe da diplomacia da UE.

"Não estamos ainda em um ponto em que tenhamos uma solução consensual sobre o pacote", declarou o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy. "É lamentável, mas não é dramático", acrescentou, considerando que "é preciso tempo para resolver este tipo de procedimento delicado".

"É melhor não ter um acordo, se não for possível chegar a um consenso agora sobre todo um pacote de nomeações", indicou a presidente lituana, Dalia Grybauskaite, ao deixar a cúpula.

O quebra-cabeça é complexo, já que o objetivo é chegar a um equilíbrio entre personalidades de direita e de esquerda, aceitas por todos os países.

O chefe de governo italiano, Matteo Renzi, defendia a candidatura de sua ministra das Relações Exteriores, Federica Mogherini. Mas ela foi rejeitada por vários países do leste, entre eles a Lituânia, por considerarem que a Itália é muito próxima à Rússia.

AFP