Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente francês Emmanuel Macron e a chanceler alemã Angela Merkel no palácio do Eliseu, em Paris, no dia 28 de agosto de 2017

(afp_tickers)

O presidente francês Emmanuel Macron e a chanceler alemã Angela Merkel pediram, nesta segunda-feira, para os presidentes russo e ucraniano, Vladimir Putin e Petro Poroshenko, respeitarem o cessar-fogo na região leste da Ucrânia, onde a "situação de segurança não melhorou significativamente".

"Pedimos urgentemente ao presidente Putin e ao presidente Poroshenko para respeitarem plenamente seus compromissos, se comprometerem de novo publicamente com o cessar-fogo e garantirem que as instruções apropriadas sejam enviadas aos militares e ao pessoal espalhado na região", manifestou um dos dirigentes, segundo um comunicado da Presidência francesa.

Em 22 de agosto, os dirigentes russo, ucraniano, francês e alemão tinham acordado um cessar-fogo na região para a volta às aulas em 1 de setembro.

Mas, apesar do pedido, "o cessar-fogo não foi plenamente aplicado pelas partes signatárias".

"A Missão de Observação da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) na Ucrânia continua a registrar ameaças contra seu pessoal e restrições à sua liberdade de movimento, em particular nas zonas não governamentais", informaram os dois países.

O conflito no leste da Ucrânia deixou mais de 10 mil mortos desde abril de 2014.

Os acordos de paz assinados em Minsk, em fevereiro de 2015, levaram os combates a praticamente acabarem, mas ondas de violência estouram frequentemente ao longo da linha de demarcação, apesar de tréguas anunciadas pelas duas partes e sempre violadas.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP