Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(26 mai) Os presidentes de França (e) e Estados Unidos se encontram na conferência do G7 na Itália

(afp_tickers)

Os presidentes francês e americano, Emmanuel Macron e Donald Trump, respectivamente, ressaltaram nesta terça-feira, durante uma conversa telefônica, "a necessidade de trabalhar em uma resposta comum em caso de ataque químico na Síria", anunciou a presidência francesa.

Os Estados Unidos acusaram na segunda-feira à noite o regime sírio de Bashar al-Assad de preparar um novo ataque químico, e se disseram prontos a responder como fizeram após um suposto ataque químico em Khan Sheikun (norte) que fez ao menos 88 mortos no início de abril.

A advertência americana foi motivada por uma atividade suspeita em uma base aérea síria de onde partiu o precedente ataque, segundo o Pentágono.

Questionado se a França dispunha de informações similares, o ministério das Relações Exteriores francês não reagiu.

Em abril, o presidente Trump organizou ataques de represália na noite do dia 6 para o dia 7 contra uma base aérea do regime de Damasco. Isso sem advertir a França, de acordo com uma fonte diplomática.

AFP