AFP

A avenida Champs Elysées no dia do tiroteio, que matou um policial e deixou três civis feridos, em 20 de abril

(afp_tickers)

Um homem de 23 ano, que teve o DNA encontrado na arma usada pelo autor do atentado de 20 de abril na avenida Champs Elysées de Paris, foi indiciado e está em prisão provisória, anunciaram fontes judiciais.

Os vestígios de DNA do homem, não conhecido pelo departamento antiterrorista, foram detectados na culatra do fuzil kalashnikov utilizado por Karim Cheurfi quando matou um policial de 37 anos e feriu três pessoas, antes de ser morto na grande avenida parisiense.

O ataque, cometido três dias antes do primeiro turno da eleição presidencial francesa, foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), também responsável pela maioria dos atentados que deixaram 239 mortos na França desde 2015.

O suspeito, detido na segunda-feira na região de Paris, foi indiciado por associação terrorista e porte de arma relacionado com um ato terrorista, segundo uma fonte judicial.

Ao ser detido, afirmou que não conhecia o autor do atentado. Os investigadores tentam estabelecer alguma relação entre ele e Karim Cheurfi.

AFP

 AFP