Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

No Brasil desde 2015, a EDF EN iniciou a operação, nesta semana, da segunda das três fases do projeto do maior complexo solar fotovoltaico da América Latina, com potência acumulada de 284 MW, em Pirapora, Minas Gerais

(afp_tickers)

O grupo francês EDF Energies Nouvelles (EDF EN) anunciou nesta quarta-feira (8) o funcionamento de suas primeiras instalações eólicas e solares no Brasil, com capacidade total de 350 megawatts (MW).

No Brasil desde 2015, a EDF EN iniciou a operação, nesta semana, da segunda das três fases do projeto do maior complexo solar fotovoltaico da América Latina, com potência acumulada de 284 MW, em Pirapora, Minas Gerais.

Quando todo o projeto estiver pronto para operar - estima-se que no primeiro semestre de 2018 -, essa capacidade alcançará os 400 MW, permitindo fornecer eletricidade para 420 mil famílias brasileiras ao ano.

A EDF EN detém 80% do projeto. Os 20% restantes pertencem ao grupo canadense Solar, que fabrica localmente aproximadamente 1,2 milhão de painéis fotovoltaicos do complexo em uma fábrica no estado de São Paulo.

Em setembro, o grupo tinha inaugurado o parque eólico de Ventos da Bahia, a primeira parte de um projeto com potencial de 800 MW.

A EDF EN está presente em 23 países, com capacidade instalada de 10.378 gigawatts.

"Desejamos dobrar nossas capacidades de energias renováveis daqui a 2030 e nós definimos um certo número de prioridades, das quais o Brasil faz parte", explicou à AFP Bruno Fyot, diretor-geral da EDF EN.

Em dezembro, o grupo vai participar de leilões de energia no país. Ele já registrou um projeto eólico com capacidade para 280 MW.

O objetivo de médio prazo é atender uma capacidade instalada de 1 GW no Brasil, o oitavo maior consumidor de energia do mundo, destacou Fyot.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP