Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-ministro José Lopez (C) detido em Buenos Aires em 14 de junho

(afp_tickers)

Um promotor pediu nesta quarta-feira que a freira que aparece em um vídeo ajudando um ex-vice-ministro argentino a esconder milhões de dólares e euros em um convento seja intimada a depor.

O pedido se refere ao curioso escândalo envolvendo José López, um ex-vice-ministro do governo argentino de Cristina Kirchner (2007-2015), que foi formalmente indiciado por enriquecimento ilícito, após ser pego em flagrante com nove milhões de dólares e milhares de euros em um convento.

Segundo fontes judiciais, o procurador federal pediu a abertura do processo contra López, de 55 anos, que durante 12 anos administrou os contratos do Estado com construtoras para obras viárias, usinas elétricas e moradias, entre outras.

López está detido no pavilhão psiquiátrico de uma prisão da periferia. Ele ainda não conseguiu prestar depoimento, está medicado, delira e teve agressivos quando foi levado ao juiz. A Justiça ainda não sabe se ele está em surto ou fingindo.

No vídeo do ocorrido, se vê o momento em que López toca a campanha do convento onde dormiam as religiosas. Apoia as bolsas de dinheiro no chão e encosta um rifle na parede.

A irmã Célia Inês Aparicio abre a porta para ele e ajuda a carregar as bolsas, levando-as para a cozinha.

Um vizinho, que viu a movimentação, chamou a polícia e López ainda tentou se passar por um padre.

Outra freira estaria envolvida no caso, Alba Día de España Martínez Fernández (madre Alba), uma vez que se encontrava no convento junto com a irmã Inês. Como se trata de uma idosa, a promotoria ainda estuda se vai intimá-la.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP