Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O diretor e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg

(afp_tickers)

O diretor e fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, convidou figuras conservadoras a uma reunião nesta semana para discutir as acusações de que a rede social excluiu dos temas populares alguns pontos de vista políticos.

Uma porta-voz do Facebook declarou nesta segunda-feira à AFP que Zuckerberg se reunirá com cerca de uma dezena de conservadores, incluindo o comentarista político Glenn Beck e a apresentadora de televisão Dana Perino.

A reunião ocorre após a divulgação de um relatório do site de notícias de tecnologia Gizmodo que alega que os artigos com posturas politicamente conservadoras foram omitidos deliberadamente da seleção de notícias de "tendências" divulgada no Facebook.

O Facebook negou as acusações e Zuckerberg prometeu investigar o tema.

"Se encontramos algo que vai contra nossos princípios, têm minha palavra de que vamos tomar medidas adicionais para enfrentar isso", escreveu Zuckerberg em uma mensagem do Facebook na semana passada.

Por sua vez, o comentarista Beck disse em uma mensagem no Facebook ter sido contactado por Zuckerberg e convidado para uma reunião na quarta-feira na sede da companhia em Menlo Park, Califórnia.

"Mark queria se reunir com oito ou dez de nós para explicar o que aconteceu e garantir que não voltará a ocorrer", escreveu Beck.

"A pergunta que precisamos responder na quarta-feira é se Mark verá isso como uma oportunidade para mostrar todos os pontos de vista, mas ao mesmo tempo unificar os Estados Unidos e o mundo", disse.

Entre outros convidados figuram Zac Moffart, um consultor político que trabalhou com o ex-candidato presidencial republicano Mitt Romney; Arthur Brooks, presidente do American Enterprise Institute; e Barry Bennet, conselheiro do aspirante presidencial republicano Donald Trump.

AFP