Navigation

Gary Oldman pede desculpas por comentários antissemitas

O ator britânico Gary Oldman é visto na estreia do filme Robocop, em 10 de fevereiro de 2014, em Hollywood afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 25. junho 2014 - 19:45
(AFP)

O ator britânico Gary Oldman pediu desculpas à comunidade judia por ter afirmado que Hollywood era "mantida por judeus", um mea culpa considerado insuficiente por uma associação de luta antissemita.

O ator de 56 anos expressou seu remorso em uma carta enviada ao Centro Simon Wiesenthal e à Liga Antidifamação (ADL), uma associação de luta contra o antissemitismo, por suas palavras "ofensivas em relação a muitos judeus".

Suas desculpas acontecem depois de uma entrevista à revista PlayBoy na qual Oldman defendeu o ator Mel Gibson, que continua excluído de Hollywood por ter feito comentários contra a comunidade judia em 2006.

"Mel Gibson vive em uma cidade mantida por judeus e na qual disse o que não devia porque mordeu a mão que lhe dava de comer", afirmou.

Em sua carta divulgada nesta quarta-feira, o ator acrescenta: "Espero que acreditem na sinceridade de minhas desculpas. Tenho uma enorme afinidade pessoal com os judeus em geral e particularmente com aqueles que estão presentes em minha vida. O povo judeu, perseguido durante muitos anos, foi o primeiro a ouvir a voz de Deus e supostamente é o povo escolhido".

O diretor da ADL, Abraham Foxman, afirmou que as desculpas não são suficientes. "Queiram ou não, as celebridades são verdadeiros modelos e têm uma responsabilidade sobredimensionada sobre suas palavras e atos", explicou.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.