Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestantes em marcha do silêncio em Montevidéu em 20 de março em memória dos desaparecidos durante a ditadura militar (1973-1985)

(afp_tickers)

Um general reformado acusado de crimes contra a humanidade durante a ditadura no Uruguai cometeu suicídio nesta quarta-feira, quando a polícia foi informá-lo sobre sua prisão.

O general Pedro Barneix seria notificado da prisão como parte do processo por homicídio e tortura do militante de esquerda Aldo Perrini, em 1974, em um quartel militar durante a ditadura (1973-1985).

Segundo o jornal local El Observador, que cita pessoas ligadas ao militar, Barneix se matou com um tiro no quarto após a chegada dos policiais.

A ordem de prisão, emitida pela juíza Beatriz Larrieu, foi publicada na tarde desta quarta-feira.

Guillermo Cedrés, presidente do Centro Militar, instituição que reúne militares da reserva e reformados, disse que a comunidade que dirige perdeu "um camarada em outra circunstância injusta".

"Este homem não teve nenhuma culpa neste caso (homicídio de Perrini). Simplesmente estava de serviço".

Barneix integrou a comissão de investigação interna das Forças Armadas, a pedido do presidente Tabaré Vázquez, que teve por objetivo reunir dados sobre pessoas desaparecidas durante a ditadura, recordou El País.

AFP