Navigation

General colombiano admite que militares mataram ex-guerrilheiro das Farc

Este conteúdo foi publicado em 28. abril 2019 - 20:37
(AFP)

Um general do Exército colombiano pediu perdão publicamente após admitir que militares mataram, na segunda-feira passada, um ex-guerrilheiro das Farc que participava do processo de paz na Colômbia.

O caso gerou neste domingo uma forte crítica dos grupos de oposição, inclusive das Farc, que virou partido político após acordo de paz firmado em 2016 que levou ao desarme de cerca de 7 mil combatentes.

A oposição exigiu a renúncia do ministro da Defesa, Guillermo Botero, no centro das críticas após divulgar a versão que a vítima teria reagido a uma ação dos militares no departamento de Norte de Santander (noreste).

Os soldados que participaram da ação contra o ex-guerrilheiro tentaram enterrar o corpo dele multilado, mas moradores da localidade filmaram com celulares e postaram as imagens nas redes sociais, evitando assim que o cadáver fosse ocultado.

Até este domingo, a justiça colombiana não havia emitido nenhuma ordem de captura pelo caso.

Pelo menos 128 ex-combatentes das Farc foram assassinados desde a assinatura do acordo de paz em novembro de 2016, segundo dados do governo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.