Navigation

GM oferecerá US$ 1 milhão para cada morte atribuída a defeito

A fabricante também propõe pagar US$ 300.000 para cada cônjuge que sobreviveu ao acidente e a mesma quantidade para o responsável pela vítima. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2014 - 15:13
(AFP)

A montadora americana General Motors oferecerá um milhão de dólares para cada morte - ao menos 13 - em acidentes atribuídos ao defeito na ignição que levou a companhia a anunciar o recall de 2,6 milhões de seus veículos, dez anos após a detecção do problema.

Dez anos após a detecção do defeito, a GM reconheceu 13 mortes em acidentes vinculados ao defeito, mas funcionários do governo federal sugerem que podem ser mais. O independente Centro de Segurança Rodoviária contabilizou mais 300 mortes relacionadas ao defeito de abertura do airbag, mas não vinculou o problema ao defeito da ignição.

A GM sofre investigação por ter demorado mais de uma década para fazer o recall dos veículos afetados, mesmo quando a companhia já tinha consciência do defeito.

Em fevereiro deste ano, a fabricante fez o recall de 1,6 milhões de carros, produzidos entre 2003 e 2011.

Segundo as condições estabelecidas pelo fundo de indenização anunciadas pelo advogado Kenneth Feinberg, a fabricante também propõe pagar US$ 300.000 para cada cônjuge que sobreviveu ao acidente e a mesma quantidade para o responsável pela vítima.

A GM oferecerá compensações financeiras e tratamento médicos aos que sofreram lesões nos acidentes.

A empresa afirmou que as reclamações podem ser apresentadas no período entre 1 de agosto a 31 de dezembro.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?