Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Página inicial do Google

(afp_tickers)

O Google lançou "Perspectiva", uma ferramenta baseada na inteligência artificial que ajudará os meios de comunicação a moderar automaticamente os comentários na internet, bloqueando as mensagens maliciosas dos "trolls", anunciou o grupo americano.

Esta API (interface informática), proposta gratuitamente, permite que os editores criem programas que detectarão as mensagens "tóxicas" antes de sua publicação, determinando eles mesmos o nível de tolerância, disse a empresa na quinta-feira.

"Perspectiva" está sendo testada por vários sites o do New York Times, The Guardian e Wikipedia, com uma aprendizagem automática a partir de mensagens consideradas provocativas ou fora de tema por parte de moderadores humanos.

O objetivo é facilitar o trabalho das equipes de moderadores, frequentemente sobrecarregadas com o fluxo de comentários injuriosos que impedem manter as conversas em condições normais, algo que levou muitos jornais a fechar suas páginas de comentários.

"Os meios de comunicação querem encorajar as conversas sobre seus conteúdos, mas detectar entre milhões de comentários aqueles que os sabotam leva muito tempo, trabalho e dinheiro", ressaltou no blog do Google Jared Cohen, presidente do Jigsaw, que construiu a ferramenta.

O programa está disponível para os meios membros da "Iniciativa Digital de Notícias" do Google, mas também para as plataformas de redes sociais como YouTube, Twitter e Facebook.

Por sua vez, o Twitter anunciou no início do mês que atuará contra as mensagens abusivas, frequentemente anônimas, permitindo identificar seus autores e impedindo que criem novas contas.

Google, Facebook, Twitter e Microsoft assinaram no ano passado um "código de boa conduta" com a Comissão Europeia, pelo qual se comprometeram a examinar em um prazo de 24 horas a maioria dos conteúdos injuriosos apontados pelos usuários e suprimi-los caso necessário.

AFP