Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O negociador-chefe do governo nas conversas com o ELN, Juan Camilo Restrepo

(afp_tickers)

O governo da Colômbia anunciou neste domingo que as negociações de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN), única guerrilha em atividade no país, serão retomadas no próximo dia 12, em Quito, após terem sido adiadas no fim de outubro a pedido dos rebeldes.

"A retomada das conversas para concretizar a data de instalação da mesa pública será na próxima quinta-feira, em Quito, Equador", afirmou o negociador-chefe do governo com o ELN, Juan Camilo Restrepo, em um comunicado assinado em Bogotá.

Segundo o texto, o ex-ministro irá liderar uma comissão especial que se reunirá com representantes da guerrilha - que pegou em armas em 1964, por influência da Revolução Cubana - para "encontrar fórmulas de entendimento que levem à abertura da mesa pública de negociações".

A Colômbia busca um acordo com o ELN para alcançar a "paz completa", depois de selar, em novembro passado, o fim de um confronto de cinco décadas com as Farc, principal guerrilha do país.

O conflito armado colombiano, do qual também participaram outras guerrilhas, paramilitares e agentes estatais, deixou 260 mil mortos, 60 mil desaparecidos e 6,9 milhões de refugiados internos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP