Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, durante entrevista coletiva na seda das Nações Unidas, em Nova York, no dia 28 de julho de 2015

(afp_tickers)

O governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, usa o sistema judicial como uma punição política, com demandas penais contra dezenas de opositores que criticaram suas políticas nos meios de comunicação, denunciou nesta quinta-feira a organização Human Rights Watch.

Segundo a HRW, além dos processos mais notórios contra dirigentes políticos como Leopoldo López, dezenas de críticos menos conhecidos enfrentam ou foram ameaçados de ações penais por autoridades venezuelanas.

Mas o mais grave é a "ausência de um poder judicial independente" que possa frear as ações do poder Executivo, advertiu a organização americana.

"O governo da Venezuela utiliza o sistema de justiça como uma fachada, mas a realidade é que os juízes e procuradores venezuelanos se converteram em soldados obedientes", disse José Miguel Vivanco, diretor-executivo para as Américas da HRW, em um comunicado.

Para Vivanco, "as autoridades venezuelanas abusaram, de forma recorrente, de suas faculdades para limitar a livre expressão, e isso impede um debate aberto e democrático, o que é especialmente importante diante das eleições legislativas que serão realizadas em dezembro", disse Vivanco.

AFP