Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A procuradora-geral Luisa Ortega, em sessão na Assembleia Nacional, em Caracas

(afp_tickers)

O governo venezuelano deu nesta segunda-feira um novo passo em sua ofensiva contra a procuradora-geral Luisa Ortega, que enfrenta, agora, uma auditoria por supostas irregularidades administrativas.

A inspeção do Ministerio Público foi anunciada pelo controlador-geral, de linha chavista, Manuel Galindo, no momento em que Ortega acompanhava uma sessão no Parlamento de maioria opositora.

Ortega declarou que seu gabinete está aberto a revisão de todas as contas, desde que seja feito de forma respeitosa.

A decisão do controlador aperta ainda mais o cerco sobre Ortega, que se distanciou do governo há três meses depois de anos de fidelidade ao chavismo, por considerar que o presidente Nicolás Maduro feriu a Constituição.

A Procuradora-Geral deverá comparecer nesta terça ante uma audiência no Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), acusado de servir ao governo e que avaliará um pedido de Caracas para que Ortega seja julgada por supostas faltas no cargo, a fim de ser destituída.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP