Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Integrantes do movimento rebelde Renamo durante treinamento militar em 8 de novembro de 2012 na região de Gorongosa

(afp_tickers)

O governo de Moçambique e os rebeldes da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) firmaram um cessar-fogo neste domingo, diante da proximidade da eleição, prevista para 15 de outubro próximo - informou uma fonte ligada às negociações.

O acordo põe fim a dois anos de conflito.

"Firmou-se um cessar-fogo", embora não tenham sido resolvidos todos os problemas entre ambos os lados, disse à AFP o chefe dos negociadores da Renamo, Saimon Macuiane, que assinou a trégua com o representante do governo, o ministro da Agricultura, José Pacheco.

O cessar-fogo entra em vigor às 22h (17h no horário de Brasília) de domingo.

"Entramos em uma nova era para o país", comemorou Macuiane, acrescentando que o cessar-fogo é "um passo importante para a reconciliação nacional e para uma paz estável".

"É necessário começar a implementação imediata do acordo (...) que impõe uma declaração de fim das hostilidades recíproca e simultânea", afirmou Pacheco.

AFP